ÁREA DO ASSOCIADO E-mail: Senha:       Esqueci a senha | Cadastro de senha

Notícias

   
  Setor de materiais de construção sinaliza queda no desempenho  
  06/06/2018  
SÃO PAULO - O desempenho da indústria de materiais de construção poderá ser inferior, neste ano, do que o inicialmente previsto. O setor ainda não revisou as projeções, mas lançamentos imobiliários abaixo do esperado no primeiro semestre em São Paulo -- maior mercado imobiliário do país --, a piora do cenário macroeconômico, as reduções de estimativas do Produto Interno Bruto (PIB) do Brasil e vendas abaixo dos volumes esperadas em maio tendem a resultar em piora das estimativas das fabricantes de materiais.

Nos próximos dias, as indústrias do cimento vão reavaliar suas projeções para o ano, segundo fonte ouvida pelo Valor. Inicialmente, o setor trabalhava com projeção de alta de 1% a 2% ante 2017. Dados do Sindicato Nacional da Indústria do Cimento (SNIC) apontam que as vendas domésticas do insumo caíram 0,3%, de janeiro a abril, para 16,97 milhões de toneladas. No fim de maio, como consequência da greve dos caminhoneiros, menos de 3% do volume médio de cimento estava sendo expedido.

Após a consolidação dos números dos fabricantes de revestimentos cerâmicos, a Associação Nacional dos Fabricantes de Cerâmica para Revestimentos, Louças Sanitárias e Congêneres (Anfacer) avaliará se mantém estimativa de crescimento de 4,8% a 5% das vendas neste ano.

Greve dos caminhoneiros

Há expectativa, de acordo com o diretor-superintendente da Anfacer, Antônio Carlos Kieling, de que as vendas do setor tenham ficado, em maio, de 25% a 30% abaixo das projeções dos fabricantes, devido à greve dos caminhoneiros. Até abril, as vendas domésticas de revestimentos cerâmicos cresceram 2,8%, para 224,1 milhões de metros quadrados. As vendas totais aumentaram 4%, para 255,8 milhões de metros quadrados.

Segundo o vice-presidente comercial da Cecrisa, Paulo Benetton, no acumulado de janeiro a maio, a empresa -- terceira maior de revestimentos cerâmicos do país -- obteve expansão de vendas entre 18% e 19%. A projeção para o ano, ainda não revista, é de crescimento de 15% a 18%, com base em ganho de participação de mercado pela melhora do mix de produtos e de aumento dos canais de distribuição.

Isoladamente, as vendas da Cecrisa, em maio, ficaram 4% abaixo das de abril. "O desempenho só foi melhor do que o de janeiro e o de fevereiro, que são meses ruins", compara Benetton. Na terça-feira (5), a empresa retomou sua operação à plena capacidade, após ter interrompido a produção por quatro dias, devido ao desabastecimento de insumos por causa da greve dos caminhoneiros.

Neste ano, o faturamento da fabricante de duchas, chuveiros elétricos, metais sanitários e purificadores de água Lorenzetti pode crescer menos do que o inicialmente previsto, segundo o vice-presidente executivo Eduardo Coli. A projeção era de alta de 10% ante o faturamento de R$ 1,28 bilhão de 2017, mas, agora, o executivo avalia que a expansão deva ficar em torno de 8%.

Entre os fatores apontados por Coli estão a redução das estimativas de crescimento do PIB do Brasil, o fato de o setor de construção civil não estar se recuperando como esperado, o desemprego ainda elevado e a desvalorização do real. "Mas vamos continuar a perseguir os 10%", diz o executivo.

Até maio, as vendas da Lorenzetti cresceram 7%, dentro das expectativas para o período. Os meses de maior comercialização de chuveiros são junho, julho e agosto. Segundo o vice-presidente, como a empresa tinha estoque de matérias-primas, sua produção praticamente não foi afetada pela greve dos caminhoneiros.

Por enquanto, a Associação Brasileira da Indústria de Materiais de Construção (Abramat) está mantendo sua projeção de aumento do faturamento deflacionado do setor de 1,5%, neste ano.
  Fonte: Valor Econômico (www.valoronline.com.br)  
  Compartilhe:    

 
 Últimas notícias
Vendas de materiais têm aumento de 1,2% até setembro
Guerra comercial afeta exportações e OMC revê para baixo a expansão
Como o cobre pode ser um sensor para o sucesso da economia
Setor de materiais de construção sinaliza queda no desempenho
Operação da Anatel mira distribuição de produtos piratas em 7 estados
 
Sindicel - Sindicato da Indústria de Condutores Elétricos, Trefilação e Laminação de Metais Não Ferrosos do Estado de São Paulo
Webdesign: Marcelo Ferraz de Souza